menu

PALÁCIO DO PLANALTO - setembro de 2017

Localização: Praça dos Três Poderes -  mapa

Distância: 2,8 km - da Rodoviária

Clique na foto (apenas um clique) para ampliar e use a seta (no teclado) para passar as fotos. Para voltar a esta página clique no X ou na tecla ESC.

Horário

  • As visitas são guiadas e oferecidas apenas aos domingos de 9h30 às 14 horas, com saídas de 30 em 30 minutos.
  • As reservas são feitas diretamente no site de agendamento de visitas - onde é feito também o agendamento para visitar o Palácio da Alvorada.
  • Como a visita ocorre apenas em um dia da semana é aconselhável agendar com antecedência. É muito difícil conseguir um vaga indo direto ao Palácio sem agendar.
  • Em casos excepcionais, os roteiros podem ser alterados e as visitas interrompidas ou suspensas sem aviso prévio.

História

  • O Palácio da Planalto foi projetado por Oscar Niemeyer.
  • A construção teve início em 10 de junho de 1958 e foi inaugurado na fundação da cidade em 21 de abril de 1960.
  • Local de trabalho do Presidente da República. Abriga também a Casa Civil, a Secretária-Geral e o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.
  • O Palácio tem uma área de 36.000 metros quadrados. O edifício principal tem quatro andares acima do solo e um andar subterrâneo.
  • Em frente ao Palácio foi construído, em 1991, um espelho d'água com uma área aproximada de 1.635 m² e 1.900 m³ de água e uma profundidade de 110 cm para aumentar a segurança ao redor do Palácio.
  • Na fachada principal observa-se a rampa que dá acesso ao Salão Nobre e ao Parlatório.

Espelho d'água - rampa e parlatório


Atrativo

A visita guiada ao Palácio passa por 3 andares onde estão diversos salões (Nobre, Leste e Oeste), Sala de Reunião Suprema, Sala de Audiência e o Gabinete Presidencial.


  • Primeiro Andar
    • Onde está localizada a Recepção para controle de acesso e segurança.
    • Hall de entrada.
    • Comitê de Imprensa.
    • Galeria Presidencial - fotos oficiais de todos os ex-Presidentes do Brasil. São duas fileiras de fotos - as de cima com os Presidentes da antiga capital (Rio de Janeiro), e as de baixo com os Presidentes na nova capital, Brasília, iniciando por Juscelino Kubitschek. Curiosidade: tem a foto de Tancredo Neves que não chegou a assumir, mas foi homenageado na galeria de ex-Presidentes. 
    • Balcão com alguns presentes protocolares recebidos de outros Chefes de Estado por Presidentes do Brasil  - a troca de presentes é costume quando um Chefe de Estado visita o Chefe de Estado de outro país. 
      • Poltronas do Arquiteto e Designer Jorge Zalszipin - ele que iniciou a produção de móveis assinados por designers na década de 40. 
      • Pintura metálica de Alex Flemming - "O Jogador de Futebol". A obra tem várias leituras, resultantes do reflexo da luz sobre o metal, conforme o horário do dia e a posição do observador. 
      • Móveis do designer Sérgio Rodrigues - "Beto" - poltronas com braços inspirados nas colunas do Palácio.
      • Escultura com formas geométricas de Franz Weissmann - "Espaço Circular em Cubos". 
      • 3 esculturas do pernambucano Zezinho de Tracunhaém - Santa Bárbara, Santo Antônio e Nossa Senhora da Conceição - estas obras foram esculpidas utilizando apenas duas espátulas, uma de madeira e outra de metal.
      • Pintura de 1995 de Jeorge Eduardo - "Bandeira do Brasil" que reproduz, em três dimensões, a grande bandeira que fica hasteada na Praça dos Três Poderes. O artista doou a obra ao então Presidente Fernando Henrique Cardoso, em cerimônia oficial. 

  • Segundo Andar
    • Neste andar estão os Salões Oeste, Leste e Nobre.
    • O Salão Oeste é o segundo maior e comporta até 300 pessoas. Destaque para a pintura abstrata, de 1972, de Burle Marx, sem título.
 
Salão Oeste
 
Quadro de Burle Marx
    • O Salão Nobre, também conhecido como Salão dos Espelhos, é o maior dos salões, com capacidade para 1.500 pessoas. Nele, o Presidente recebe os Chefes de Estado, junto com o Ministro de Relações Exteriores, que chegam pela rampa de entrada, onde dois soldados do Batalhão da Presidência fazem a guarda simbólica. Neste salão também tem uma rampa interna de uso exclusivo do Presidente, que dá acesso ao 3º andar, onde está o Gabinete Presidencial.
    • Obras de arte em destaque: 
      • Escultura de Francisco Haroldo Barroso Beltrão intitulada "A Evolução" - base em madeira com hastes flexíveis que poderiam sofrer evolução. Como o autor já faleceu, a escultura permanece imóvel.
      • Pintura "Os Orixás" de Djanira Motta e poltronas "Beto" de Sérgio Rodrigues, que também projetou um balcão do tipo vitrine onde são guardados os presentes que o Presidente recebe de outros Chefes de Estado (o balcão não está na foto).
      • Banco do tipo "Marquesa" de Oscar Niemeyer feito em Jacarandá-da-Bahia e palha indiana.
      • Floreira Francesa construída com a técnica ormulu - bronze banhado a ouro, do século XVIII e Mesa Mineira do século XIX.


    • O terceiro e último salão é o Salão Oeste, o menor e mais utilizado.
    • Sala de Reunião Suprema - antigamente era Salão Oval, porém, depois de uma reforma em 2009/2010 mudou seu nome. Tem 29 cadeiras e é utilizada para reuniões ministeriais, governamentais e presidenciais. Para cada tipo de reunião, um protocolo diferente é exigido na composição dos lugares à mesa. O mobiliário de Jacarandá-da-Bahia e assentos das cadeiras em couro foi projetado por Sérgio Rodrigues.





    • Parlatório - situado à esquerda da entrada principal (visto pelo lado de dentro), é o local de onde o Presidente se dirige ao povo concentrado na praça. Foi usado no dia da inauguração de Brasília por JK e nas posses presidenciais, quando o Presidente que sai passa a faixa presidencial para o recém empossado, como no momento em que Fernando Henrique Cardoso passou a faixa a Luiz Inácio Lula da Silva.


  • Terceiro Andar
    • Andar reservado ao Presidente.
Rampa de acesso do 2º para o 3º andar
    • Obras de arte em destaque: 
      • 2  vasos japoneses de porcelana Imari.
      • Poltronas "Easy Chair" em couro e Jacarandá-da-Bahia, projetadas por Oscar Niemeyer.
"O Flautista" - foto do site da EBC
      • Vaso Ming de 1662 - objeto mais antigo do Palácio.
Vaso Ming - foto do site da EBC
      • Pintura de Frans Krajcberg - "Galhos e Sombras" - o artista polonês, naturalizado brasileiro, é um ativista ecológico que retrata em suas obras o desmatamento, as queimadas, entre outros temas.
      • Quadros de Carlos Scliar - "Paisagem de Ouro Preto" e "Vasos de Flores". Curiosidade: o trecho às margens do Canal do Itajuru, em Cabo Frio (publicação neste blog), em frente à casa onde Scliar morou por 40 anos, recebeu da prefeitura municipal o nome de Orla Scliar. A casa, que o próprio Scliar restaurou, se transformou no Instituto Cultural Carlos Scliar, e exibe boa parte de sua obra e de outros pintores brasileiros, além de preservar o mobiliário da casa e o ateliê, com suas tintas, telas e pincéis. A orla tem urbanização personalizada, com as cores da paleta do pintor em vasos esféricos, com vegetação nativa, tudo confeccionado especialmente para o local. Diante da casa, foi erigida uma estátua em tamanho natural do pintor, obra dos escultores Cristina Ventura e Jonas Corrêa.
 
"Paisagem de Ouro Preto"
 
"Vaso de Flores"


    • Sala de Audiências - é uma extensão do Gabinete Presidencial utilizada para reuniões e credenciamento de Embaixadores. Mais uma sala com várias obras de arte em destaque:
Sala de Audiências

    • Gabinete Presidencial: a última parte da visita. No gabinete não é permitido entrar. Pode-se, no entanto, observá-lo da porta e fotografar.



 
Gabinete Presidencial
 
Corredor entre a Sala de Audiências e o Gabinete Presidencial
 
Corredor em frente ao Gabinete Presidencial


Além de conhecer o Palácio, tem-se uma bonita vista da Praça dos Três Poderes, de dentro do Palácio, destacando-se o Supremo Tribunal Federal - STF, o Mastro com a Bandeira do Brasil e a escultura "Os Candangos" de Bruno Giorgi.



 
Praça dos Três Poderes
 
Bandeira do Brasil no mastro da Praça dos Três Poderes
 
Supremo Tribunal Federal - STF
 
Escultura "Os Candangos" de Bruno Giorgi

Atualmente o Palácio está com uma série de grades ao redor pelo lado externo, o que deixa as fotos bem feias, quando feitas da rua. Fazendo parte da visitação, tem-se a oportunidade de ter acesso a área externa sem ter a grade à sua frente.


 
Vista lateral - tirada do estacionamento
 
Vista lateral e frontal - tirada do estacionamento





Comentário

  • Imperdível - uma pena que a visita aconteça apenas em uma manhã por semana (domingo).
  • A visita é gratuita.
  • É permitido fotografar.
  • Tem amplo estacionamento e uma recepção para confirmar sua reserva. 
 
Entrada do estacionamento e confirmação da reserva
 
Estacionamento
  • Em seguida, tem um local de espera onde o visitante assiste a um vídeo institucional.
  • Há banheiros masculino e feminino, água e armário com chave para guardar seus pertences - não é permitido entrar com bolsas e mochilas.
 
Armários para guardar seus pertences
 
Entrada para visitação
  • Ao lado da entrada está exposto o Rolls-Royce Presidencial conversível, de 1952, utilizado pelos Presidentes eleitos nos desfiles de posse e de comemoração da Independência, além de serem utilizados por diversos Chefes de Estado estrangeiros e ilustres convidados em visita oficial ao Brasil. 




  • Ao final da visita, o visitante pode escolher alguns postais do Palácio, escrever sua mensagem (tem uma mesa disponibilizada para isso) e colocá-lo em uma urna para ser enviado gratuitamente ao seu destino.
 
Mesa para escrever seus postais
 
Postais e urna 
  • Eles disponibilizam cadeiras de roda se necessário. Em todos os locais tem acessibilidade. 
  • Não há lanchonete no Palácio e nem nas imediações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário