menu

JOÃO PESSOA - 18/08/2015

Nesta viagem para João Pessoa fomos eu e minha esposa e curtimos 4 dias intensamente. Saímos de Brasilia no início da noite de sexta-feira (14/08/2015), em voo da TAM, e voltamos na quarta-feira (19/08/2015) de madrugada. No retorno a Brasília, só deu tempo de pegar o carro no estacionamento do aeroporto e ir direto para o trabalho - antes das oito já estava trabalhando.

Ficamos encantados com João Pessoa, povo muito educado e gentil; bons restaurantes, muitas opções de hotéis, passeios interessantes, bonito artesanato, ótimas praias, uma orla bem cuidada e muito mais.

Contrariando todos os comentários dos amigos e as previsões meteorológicas, nós pegamos quatro dias de sol. Nesta época venta um pouco, mas nada que tenha nos incomodado . Dizem que a melhor época para ir a João Pessoa é de outubro a abril. Para nós, a melhor época para ir para qualquer lugar é quando podemos, quando a situação nos é favorável - ter passagem no dia e hora que podemos, com bom preço,disponibilidade de hotel e questões de trabalho e família permitem. Como o vento estava a favor, lá fomos nós.

DICAS:

  • Compensou mais irmos de carro de casa para o aeroporto de Brasília, e pagar R$ 144,00 de estacionamento, do que ir de táxi.
  • Em outras postagens já comentei sobre planejamento de viagem e repito, é mais barato e cômodo fazer as reservas/compras pela internet - passagem, hotel, locação de carros, ingressos, além é claro, de pesquisar os lugares a conhecer.
  • Sobre GPS - levamos o nosso com vários pontos de interesse programados, mas chegamos a conclusão de que é apenas um backup, pois o Waze nos atendeu com mais eficiência - muitas vezes melhor, sem problemas de perda de sinal e mais rápido para encontrar as localidades.
  • Para quem gosta de bike, João Pessoa é excelente para pedalar, pois tem as ciclofaixas e ciclovias pela orla. Há lojas para alugar bicicletas e no nosso hotel também alugava (R$ 10,00 por duas horas).
  • Atenção se for dirigir e beber, único inconveniente de alugar carro, existe fiscalização - ainda bem.

O QUE FIZEMOS:

Não coloquei os passeios que fizemos em ordem, o ideal é colocar todos os pontos no Google Maps e fazer o planejamento de acordo com o meio de transporte e tempo disponíveis. A única recomendação é que tenha pelo menos um dia inteiro para o litoral sul. Nos demais dias, é possível conciliar praia pela manhã e parte histórica a tarde.

Litoral sul:

  • Saímos do hotel em Tambaú e fomos direto para a Praia de Coqueirinho (35 km em ótima estrada - PB 008). Chegando você pode descer de carro bem próximo a praia ou parar em um estacionamento mais amplo antes da descida. Ainda bem que colocamos o carro no estacionamento logo na chegada, pois há um mirante a uns cem metros dali, com uma bela vista da praia, que não teríamos percebido se tivéssemos decido direto. A Praia de Coqueirinho tem boa infraestrutura, ficamos no Quiosque Marlin e almoçamos um peixe muito gostoso. A praia é extensa, cheia de coqueiros (óbvio) e muito boa para fazer uma longa caminhada.
  • Depois do almoço pegamos o carro e fomos a Praia de Tambaba - 6 km mais ao sul de Coqueirinho, pela mesma rodovia. Antes de chegar tem um belo mirante. A praia é bonita, mas menor e com menos infraestrutura, porém um visual incrível. A Praia de Tambaba é dividida em duas, um pequeno morro separa a parte de naturismo - pra quem gosta de ficar peladão - não é o  meu caso. 
  • Apesar de existirem outras praias mais adiante (também pela rodovia, como a Praia Bela - 15 km mais ao sul, não fomos conhecer, e começamos a retornar seguindo para a Praia de Tabatinga - 8 km voltando. Não chegamos a pisar na areia, paramos em um ponto mais alto para admirar o encontro do rio com o mar.
  • A praia seguinte é Jacumã - 10 km voltando. Praia muito extensa, fomos na parte da pedra furada e caminhamos um pouco em direção a parte mais central (centro da cidade).
  • Ao lado da pedra furada fica a Praia do Amor, que apesar de bonita, não nos  agradou, pois tinha muitos quiosques descuidados, que na realidade eram palafitas na praia, que tiraram qualquer possibilidade de achar o local agradável.
  • Pulamos algumas praias entre Tambaú e Tambaba, as mais próximas - Ponta do Seixas, Cabo Branco e Penha, pois iríamos no dia seguinte. As praias de Gramame, do Sol e Carapibus não deu tempo de passar.
  • Minha recomendação: curtir muito Coqueirinho e passar nas outras para conhecer ou, se tiver mais tempo, dividir o litoral sul em dois ou três dias.


Centro Histórico:

Com relação à parte histórica, faço dois comentários. Primeiro: não é fácil conseguir informações confiáveis de quando abrem as igrejas (algumas, como a de São Bento e São Frei Pedro Gonçalves não abriram nem no sábado e nem na segunda-feira). Segundo: algumas igrejas estão precisando de restauração.


  • Centro Cultural São Francisco: complexo formado pela igreja, Convento de Santo Antônio, a Capela da Ordem Terceira de São Francisco, a Capela de São Benedito, a Casa de Oração dos Terceiros (chamada de Capela Dourada), o Claustro da Ordem Terceira, uma exposição permanente de artesanato, uma fonte e um grande adro com um cruzeiro, constituindo um dos mais notáveis testemunhos do barroco no Brasil. Pode-se fazer uma visita guiada (R$ 5,00), que vale a pena.
  • Ao lado do Centro Cultural São Francisco está a Basílica Nossa Senhora das Neves, situada na Praça Dom Ulrico. A igreja está bem conservada por dentro e por fora mereceria uma pintura nova, de qualquer forma é uma bonita igreja. No sábado estava fechada, retornamos na segunda-feira. Está localizada em uma pequena praça ao lado do prédio da Faculdade de Ciências Médicas.
  • Seguindo a rua em frente à basílica encontra-se a Igreja de São Bento, que por dois dias estava fechada e ninguém sabia informar quando abriria. Esta igreja precisa de um trabalho de limpeza da fachada.
  • No final da rua em frente à Igreja de São Bento encontra-se à Igreja de Nossa Senhora do Carmo, situada na Praça Dom Adauto, em um conjunto formado pela igreja, o Palácio Episcopal e a Capela de Santa Tereza. Neste dia estava tendo uma eleição na capela e a igreja estava fechada, porém permitiram que entrássemos por uma porta lateral onde tivemos acesso a bela igreja, ao jardim do claustro e ao mobiliário da sacristia. Um conjunto que vale a pena ser visitado.
  • Próximo também a Igreja de São Bento está a Igreja da Misericórdia. Parece ser menor que as outras, mas no sábado estava fechada e na segunda-feira vimos que estava aberta, mas não foi deu tempo de visitar.
  • Próximo a basílica, a esquerda, seguindo a rua que passa pelo prédio da faculdade, você chega a Casa da Pólvora, Monumento simples, onde se destacam as paredes e o teto internos do prédio, a vista - principalmente quando o sol está se pondo, e o gramado a sua volta.
  • Igreja de São Frei Pedro Gonçalves, localizada próxima a Praça Anthenor Navarro, mais uma igreja fechada e sem informações de quando abriria. Aos fundos da igreja existe um prédio em ruínas, que se restaurado, traria um grande atrativo para o conjunto. É possível ir a pé da região da basílica e Centro Cultural São Francisco até a região da Praça Anthenor Navarro - 10 minutos descendo a ladeira (nós preferimos ir de carro pela falta de tempo).
  • O maior interesse na região da Praça Navarro era ver o pôr-do-sol do terraço do antigo Hotel Globo. Decepção, o prédio estava interditado - pesquisei depois e verifiquei que a justiça determinou que a prefeitura iniciasse uma obra de restauração prevista para levar 1 ano. Infelizmente, manter os monumentos não parece prioridade. Em frente ao hotel tem um simpático bar - que tem uma praticamente a mesma vista para o pôr-do-sol.
  • E a Praça Navarro? Esperava um pouco mais, ou seja, o conjunto praça, hotel e igreja não nos entusiasmaram, mas tenho certeza de que em outra oportunidade estaremos relatando de outra forma.




Outros Passeios:
  • Praça João Pessoa - conhecida com Praça dos Três Poderes de João Pessoa. Vale a pena conhecer esta praça com o monumento póstumo ao Presidente João Pessoa, o Palácio da Redenção - Palácio do Governo, antiga Faculdade de Direito, Tribunal de Justiça e Assembléia Legislativa.
  • Praça Venâncio Neiva, ao lado da Praça João Pessoa, outra praça interessante para conhecer. Foi construída antigamente como um local para patinação e depois transformada em um local com uma edificação para o chá das cinco. Atualmente é um local de encontro de intelectuais e casais. 
  • Parque Lagoa Sólon de Lucena, um dos principais cartões postais de João Pessoa, localizado na região central, com uma lagoa cercada de palmeiras imperiais. O local passa por uma reforma.
  • Praça da Independência, próxima à lagoa, com um amplo jardim. A partir da praça tem início uma das principais avenidas de João Pessoa, a Epitácio Pessoa, que termina na Praia de Tambaú, no Busto de Tamandaré. Nesta praça estão plantadas espécies raras de árvores, como pau-brasil. A praça está sendo restaurada - calçamento e reforma do coreto. Existe também um obelisco no centro da praça e um colégio, ao lado, Colégio Marista Pio X. Sou fã de praças e esta foi mais uma que gostei.
  • Pôr-do-Sol no Jacaré - passeio tradicional e obrigatório. É bom chegar pelo menos 1 hora antes do entardecer para conhecer a feirinha de artesanato e escolher um local legal para contemplar o pôr-do-sol,com Jurady do Sax tocando Bolero de Ravel, navegando vagarosamente no rio com uma pequena canoa. Você é abordado por várias pessoas querendo vender um passeio no barco para poder ficar mais perto do Jurady- achamos que não é necessário.
  • A Feira de Artesanato de Tambaú não é muito grande. Nós preferimos conciliar a visita a feira com uma caminhada no calcadão da orla. Vale a pena prestigiar o artesanato local.
  • Forte de Santa Catarina - localizado na cidade de Cabedelo a 20 Km da Praia de Tambaú. Minha sugestão que esta visita seja conciliada com outros passeios como a Praia de Camboinha, a travessia de balsa para Lucena com visita a Igreja de Nossa Senhora da Guia - queria muito ter visitado, mas a balsa ia levar 1 hora para sair e desistimos. Próximo do forte há uma pequena praça com uma placa indicando o km 0 da Rodovia Transamazônica.
  • Santuário da Penha. Pequena capela com uma igreja maior a sua frente. De lá se tem uma vista da Praia da Penha muito bonita.
  • Farol de Cabo Branco. Ao lado do farol existe um marco indicando que naquela região está o ponto mais oriental das Américas.
  • Estação Cabo Branco - Ciência, Cultura e Arte, localizada no Bairro Altiplano, projetada por Oscar Niemeyer. Possui um amplo gramado com esculturas no jardim e um belo conjunto arquitetônico, porém, as exposições estavam em um prédio anexo, pois o principal estava em obras - a visita externa estava liberada. Amplo e gratuito estacionamento. A visitação também é de graça. Vale a pena conhecer.
  • Acho interessante programar a visita ao Santuário da Penha, Farol, Estação Cabo Branco e ainda incluir a Praia da Penha - com suas piscinas naturais e a Ponta do Seixas, tudo no mesmo dia, pois uma atração está ao lado da outra.
  • No balão próximo ao acesso do Santuário da Penha e Ponta do Seixas, inicia a rodovia PB008, que dá acesso as praias do litoral sul.
  • Centro de Convenções. Não entramos, tiramos apenas fotos da rodovia.Ele fica localizado pouco depois do ponto a que me referi no item anterior. É um prédio recém inaugurado, muito legal.
  • Caminhar na orla de Tambaú e Cabo Branco. Calcadão amplo, com bastante movimento, cheio de bares. A calçada está sendo construída com novo projeto arquitetônico e parece que vai ficar bonita. Para quem gosta de andar de bike, melhor ainda, pois a ciclovia garante segurança, pena que não deu tempo para nós.


Mais Praias:

  • Cabo Branco. Praia extensa e bela, junto a de Tambaú, porém, própria para banho (conforme indicava as placas). Entre a praia e o calçadão há diversos quiosques bem estruturados. Alugamos cadeira e guarda sol por R$ 10,00.
  • Camboinha. Praia do litoral norte, bonita e extensa. Tiramos apenas algumas fotos e fomos para Cabedelo visitar o Forte de Santa Catarina. Esta  praia merece um tempo maior para explorar. De lá saem também barcos para o passeio até Areia vermelha. Pode ser interessante conciliar Camboinha, Areia Vermelha, Forte de Santa Catarina e fechar com o maravilhoso pôr-do-sol na Praia do Jacaré, não esquecer, talvez, de incluir a Igreja de Nossa Senhora da Guia, a qual não conseguimos visitar.
  • Penha. Mais uma praia linda com opção de fazer um passeio de barco às piscinas naturais. Nas pesquisas que fiz pela internet observei que as piscinas naturais de Picãozinho, saindo de Tambaú, são mais badaladas, mas acho que as da Penha não devem ficar atrás. Na próxima, vou fazer este passeio. Desta vez apenas tiramos fotos da praia.
  • Ponta do Seixas. Um local interessante de onde tiramos apenas algumas fotos, não é uma praia que gostaria de ficar, apesar de ser bonita também.
  • Tambaú. Local mais badalado, com lojas, restaurantes, bares e o conhecido e diferente Hotel Tambaú. A praia, como todas as outras de João Pessoa, é bonita, mas tinha a placa que indicava ser imprópria para banho.
  • Picãozinho - Areia Vermelha - Penha. São passeios de barco  para piscinas naturais. É importante verificar se a maré está favorável para o passeio. Quanto mais baixa a maré, mais bonito é. Fizemos o passeio a Picãozinho com a maré em 0,3. No dia seguinte, já não seria mais interessante ir. Nas pesquisas pela internet o passeio custava entre R$ 35,00 e R$ 50,00. Paguei R$ 25,00 na embarcação Bicho Preguiça. Recomendo o passeio, além de curtir as piscinas, tiramos belas fotos.

LOCAÇÃO DE CARRO:

Nós alugamos um carro na Movida. Foi a Locadora que estava com o melhor preço para o carro que queríamos. Acho essencial o carro em João Pessoa, para proposta que tínhamos - conhecer o máximo possível em 4 dias. Rodamos bastante nas rodovias que circulam João Pessoa, portanto achei interessante ter alugado um carro com ar condicionado e motor 1.5. Fiz todos os seguros, peguei o carro com tanque cheio e devolvi com tanque cheio, além de pagar R$ 20,00 para ter motorista adicional (minha esposa). Gostamos da locadora.


HOTEL:

Ficamos hospedados no Village Premium em Tambaú, localizado a 4 quarteirões da praia, na Avenida Epitácio Pessoa. Excelente custo benefício. Pesquisei no TripAdivisor, que tem comentários muito úteis para auxiliar na decisão e fiz a reserva pelo Booking. O atendimento do hotel é excelente - recepção, manobrista, camareira e central de reservas. O café da manhã é bem variado, com comidas típicas incluídas; quarto amplo e com ótimas instalações; estacionamento; restaurante (funciona de quarta a domingo);serviço de quarto com pratos rápidos (apenas neste quesito achei que podia ser melhor); piscina agradável; uma pequena academia; aluguel de bike; espaço para crianças (não era o nosso caso) e tudo isto com um preço (reservado pela internet) muito bom. Voltarei com certeza.

RESTAURANTES:

  • Guliver Mar: localizado no final da praia de Cabo Branco. Estacionamento próprio, excelente atendimento, visual da orla de Cabo Branco e Tambaú maravilhoso, decoração de bom gosto e, principalmente, divina comida, Só tem um problema, o preço alto, porém compatível com tudo que tem lá.
  • Mangai: Localizado a um quarteirão da Praia de Manaíra. Restaurante nordestino tradicional, com bastante variedade. Conhecemos a filial de Brasília. Boa comida, serviço de buffet a quilo por um preço razoável, com estacionamento pequeno (mas havia vaga na rua ao lado que sai para praia) e sucos muito bons.
  • Quiosque Marlin: localizado na Praia de Coqueirinho. Bar de bera de praia organizado e com muitas opções no cardápio, além de redes, espreguiçadeiras e almofadas. Comemos um peixe frito com mandioca, arroz e pirão, muito bom e servia bem 3 pessoas, por R$ 60,00.
  • Eu tinha feito uma lista com várias opções de restaurantes em João Pessoa, extraída dos melhores comentários do TripAdvisor, mas não deu tempo de ir a todos eles.

O que não gostei em João Pessoa

Na realidade,foram poucas as coisas de que não gostei. Acho importante registrar aqui porque muitas pessoas podem compartilhar da mesma opinião e, assim, quem sabe, chegar a uma autoridade disposta a mudar alguma coisa.

  • Na orla próxima a Tambaú há placas indicando que o mar está impróprio para banho. Não posso me conformar com isto, é um absurdo o mar estar poluído.
  • Os patrimônios tombados demoram muito para passar por manutenção, algumas igrejas estão precisando urgente de restauração.
  • Os pontos turísticos deveriam ficar abertos de domingo a domingo, pelo menos das 9 às 17 horas. Especialmente, no caso de João Pessoa, as igrejas, que contam muito da história local. Ainda que cobrem ingresso para o turista - lógico que os fiéis da cidade que frequentam a igreja todos os dias não precisariam pagar. Gostaria de ter entrado em todas, mas não foi possível porque a maioria estava fechada.