menu

RIO DE JANEIRO - ROLLING STONES - fevereiro de 2016

O Rio de Janeiro tem passeios incríveis para fazer, além, é claro, das belas praias. Desta vez, no entanto, o motivo de nossa viagem  não foram os passeios, mas, sim, o show dos Rolling Stones.

A banda passou pelo Rio de Janeiro para sua turnê na América Latina - "Olé Tour 2016". O show foi no Maracanã, no dia 20 de fevereiro de 2016.
Clique na foto (apenas um clique) para ampliar e use a seta (no teclado) para passar as fotos. Para voltar a esta página clique no X ou na tecla ESC. 








Reservamos 3 dias para a viagem. Saímos de Brasília na sexta-feira em um voo às 7h30 para o Aeroporto Santos Dumont no Rio, e voltamos às 16h30 de domingo pelo mesmo aeroporto. Acertamos duplamente, ótimos dias e horários, aproveitamos bem a sexta-feira e o domingo; e a escolha do aeroporto, mais central.

Agora vou abrir um parênteses para comentar sobre transporte, principalmente táxi  x UBER.

  • Começando por Brasília: fiz algumas contas para decidirmos o transfer até o aeroporto: 3 dias de estacionamento no Aeroporto de Brasília,  R$ 121,00, incluindo mais R$ 20,00 de combustível  para ida e volta, gastaríamos no total R$ 141,00. Se a opção fosse ir e voltar de táxi seria aproximadamente R$ 160,00. Fomos de Uber gastando R$ 35,00 na ida (UBER X) e R$ 55,00 na volta (UBER black), total de R$ 90,00, ou seja vale muito a pena o Uber e sem problema algum, além do conforto, da educação do motorista  e da facilidade de pagamento (débito direto no cartão). 
  • Já no Rio fomos informados que o Uber não se aproxima do aeroporto. Preocupados com a fama terrível dos taxistas no Rio pegamos um táxi pré-pago (ticket vendido dentro do aeroporto). Apesar de não ter reclamação do carro e nem do motorista, o preço não compensou, R$ 60,00 até o início de Copacabana (Posto 2). Pelo taxímetro, seria em torno de R$ 35,00, foi o que pagamos na volta (pegamos um táxi no ponto da Praça do Lido) - carro bom e mau humor do motorista já esperado, sem querer generalizar.
  • Para irmos ao show no Maracanã pegamos o metrô. Só tenho elogios, muito organizado, bonito e limpo. O site do Metrô e o aplicativo são muito bons, nós estudamos antes qual metrô pegar e qual conexão fazer - estava cheio, mas não tivemos problema - preço R$ 3,70. Na volta, apesar de termos comprado o ticket do metrô antecipadamente, achamos melhor voltar de táxi. Foram 66.000 pessoas saindo do Maracanã ao mesmo tempo e achamos que poderia demorar mais. Apesar da quantidade de gente, estava organizado (dividimos o nosso grupo de 7 pessoas, uma parte foi de metrô e a outra de táxi). Demos sorte e conseguimos um táxi, porém, o preço foi definido pelo motorista. Pagamos R$ 80,00 em uma corrida de R$ 35,00. Já o Uber, na saída do Maracanã, estava com um preço impraticável (estimado entre 280,00 e 320,00 reais para o mesmo trajeto - o preço alto era devido à intensa procura).
  • Conclusão nossa: em Brasília, o Uber é o melhor negócio. No Rio, metrô sempre que possível, já o Uber, deve ser avaliado a cada corrida. Para ir e voltar ao Maracanã, há ainda a possibilidade de contratar uma Van ou até mesmo acertar previamente com algum taxista.

O show e o Maracanã

  • É muito emocionante sair da Estação Maracanã do Metrô e passar, por uma extensa passarela  (200 m), que passa sobre a Via Radial Oeste, e sair na cara do Maracanã. Mapa.
  • O estádio é sensacional em todos os sentidos: bonito por fora e por dentro, boa segurança, facilidade de acesso, cadeiras com um bom espaço entre as fileiras e muito mais. 
  • O show nos surpreendeu positivamente: cenário, luzes e telões fantásticos. A vitalidade de Mick Jagger é impressionante, se movimentando todo tempo, cantando com uma voz prefeita. O que surpreende é que ele tem 72 anos. Os demais componentes da banda, Charlie Watts, Keith Richards e Ron Wood, todos idosos, também são incríveis. Foram 66.000 pessoas cantando com eles durante todo o show.


Mick Jagger


Charlie Watts - baterista




Keith Richards - guitarrista


Passeios
  • Como estávamos hospedados em frente ao Posto 2 de Copacabana (Praça do Lido - localizada entre as Avenidas Atlântica e Nossa Senhora de Copacabana e as Ruas Belfort Roxo e Ronald de Carvalho) e já conhecíamos os principais pontos turísticos do Rio, optamos por curtir a praia.
Praça do Lido e Praia de Copacabana - vista do apartamento onde nos hospedamos
Praça do Lido e Praia - vista do apartamento onde nos hospedamos - chuva no final do dia
  • O Calçadão de Copacabana é uma atração à parte com seus diversos quiosques, as estátuas de Drummond e Caymmi, a bela paisagem, os diferentes prédios, como o Hotel Copacabana Palace e, de quebra, ciclovia e calçada para uma boa caminhada.
 
Dorival Caymmi
 
Carlos Drummond de Andrade
 
Calcadão de Copacabana
 
Calcadão de Copacabana
  • Caminhamos em direção a Pedra do Leme (à esquerda da praia). O Forte Duque de Caxias ou Forte do Leme, fica no topo do morro, sendo uma das antigas fortalezas do Rio de Janeiro. Hoje em dia este sítio histórico está aberto à visitação de terça a domingo. Como se localiza em uma área de grande beleza natural, cercada por densa mata e vegetação, a subida ao forte é também uma caminhada e passeio ecológico. Tem uma bilheteria próxima ao pé da pedra na Praça Almirante Júlio de Noronha, em uma área militar, deve ser bem bonita a vista de lá. Não subimos, mas não faltou vontade. A chuva forte do dia anterior derrubou uma árvore e impediu o caminho, fechado por segurança.
 
Morro do Leme - Forte Duque de Caxias
 
Praia do Leme - Morro do Leme
  • Caminhamos também em direção ao Forte de Copacabana, que parece ser bem interessante visitar, mas não entramos, pois o tempo fechou e resolvemos voltar.
Forte de Copacabana
  • Por fim, curtimos 3 dias de praia, no Posto 2 de Copacabana, com sol intenso. Alugávamos guarda-sol e cadeiras por R$20,00 (1 guarda-sol e duas cadeiras), achei razoável.
 
Copacabana - Posto 2
 
Copacabana vista do Caminho dos Pescadores no Leme
 
Praia de Copacabana -
Corcovado ao fundo (Cristo)
  • Na Praça do Lido tem um posto de venda de ingressos para ir de van com ar condicionado até o Cristo Redentor ao custo de R$ 53,00. Meu filho foi até lá, porém houve um atraso de 1 hora na saída da van e não ficamos sabendo o motivo. A outra forma de ir ao Cristo é ir até o local e comprar o ticket e subir de trem (quando fui, gostei muito), a vista de lá é maravilhosa.
 
Vista do Corcovado
 
Cristo
 
Trem para acesso ao Cristo

Restaurante e Hospedagem
  • Optamos por alugar um apartamento, pois estávamos em 7 pessoas. Achei a experiência muito boa e pretendo repetir a dose.
  • Almoçamos em casa e apenas um dia almoçamos fora. Gostei do Restaurante El Galetto, ao lado da Praça do Lido,  Rua Ronald de Carvalho, serviço à la carte, comida simples e boa a preço justo.

Foi muito bom estar no Rio de Janeiro outra vez, queremos voltar muitas outras vezes e postar aqui nossos passeios.

2 comentários:

  1. Muito válida as dicas. Acrescentando que de Copacabana à Rodoviária Rio Novo um Ube cobra em média R$25,00, melhor que táxi.

    ResponderExcluir
  2. REtificando o comentário anterior, um UBER cobra em édia R$25,00 de Copacabana à rodoviária.

    ResponderExcluir