menu

PARAÍSO NA TERRA - MUMUNHAS - abril de 2017

Localização: está localizado próximo a Brazlândia. Há algumas opções para se chegar lá, tanto pela saída norte da cidade (Posto Colorado), quanto pela via Estrutural e BR 080. Nós optamos por pegar essas estradas, que estão em melhores condições, e por onde o trecho de terra é menor (apenas 5 km e em boas condições). Mapa.

Distância da Rodoviária: 61 km.

Horário: de terça a domingo de 8 horas às 16h30.

Tempo Gasto:  cerca de 7 horas no total. O passeio básico consiste em tomar o café da manhã no refeitório do Paraíso na Terra (termina às 10 horas) e fazer a trilha das cachoeiras. Um tempo razoável para trilha é em torno de 40 minutos para descer (parando) e mais 40 para subir (sem parar). Nós escolhemos a última cachoeira da trilha - Cachoeira Rainha para nos refrescarmos nas águas não tão geladas da queda d´água e tomarmos sol. O almoço, incluído no valor do passeio, encerra-se às 15 horas. Recomendo chegar às 9 horas e voltar para casa às 16 horas, ou seja, 7 horas é tempo suficiente para curtir sem pressa.

Preço:
  • As reservas (obrigatórias) devem ser feitas por telefone, consulte o site.
  • O pagamento do ingresso deve ser feito em dinheiro, cheque ou transferência bancária.
  • O valor por pessoa é de R$ 95,00 incluindo o café da manhã, o almoço e o guia para fazer a trilha. Caso não queira o café da manhã, o valor passa para R$ 85,00. Criança menor de 12 anos paga meia.

Atrativo: caminhar pelas trilhas, contemplar a natureza, tomar banho de cachoeira.

História: o Paraíso na Terra é uma realização do Instituto Teosófico de Brasília - ITB, uma entidade sem fins lucrativos, cultural, pedagógica e filantrópica voltada para o estudo das religiões, filosofia e ciência e para o aperfeiçoamento do homem. O ITB está vinculado à Sociedade Teosófica no Brasil, e seus dirigentes são, por estatuto, membros dessa entidade.

O Paraíso na Terra está situado na Área de Proteção Ambiental - APA do Cafuringa, possuindo muitas nascentes, rios, dezenas de cachoeiras, uma rica vegetação de cerrado, campos e matas de galeria. O local tem ainda uma diversificada fauna com muitos pássaros e animais silvestres.

Um dos destaques são as cachoeiras de águas límpidas, oriundas de nascentes que brotam na própria fazenda. Algumas cachoeiras formam piscinas naturais.

Site Oficial: Paraíso na Terra

Clique na foto (apenas um clique) para ampliar e use a seta (no teclado) para passar as fotos. Para voltar a esta página clique no X ou na tecla ESC.

Depois de registrar as informações oficiais vamos agora aos meus comentários.

Antigamente a região era conhecida como Mumunhas e não tinha nenhuma infraestrutura. Conheci a região no início da década de 80 e só voltei lá agora. O nome Mumunhas ainda hoje é utilizado para nomear a primeira cachoeira da trilha.

Logo na entrada do Paraíso na Terra (nome atual) tem um portão onde é conferida a sua reserva. De lá você vai de carro por mais uns 500 metros até a administração e faz o pagamento (o recibo deve ser apresentado na saída).


 
Estacionamento em frente à Administração
 
Administração

O refeitório fica ao lado da Administração, onde você começa o seu dia tomando um café. As instalações são simples e o café e almoço seguem uma dieta ovolactovegetariana. Apesar de simples, gostei muito. No café da manhã comi um bolo de mandioca muito bom, além de frutas bem saborosas. O almoço tem pouca variedade, mas a comida é bem temperado e saborosa. O destaque foram as sobremesas: pudim de leite condensado, doce de goiaba e manjar branco. No prédio do refeitório estão localizados os banheiros, que poderiam ser melhores.


 
Prédio do refeitório
 
Interior do refeitório

O preço pago não é baixo. Algumas pequenas coisas poderiam ser melhoradas para justificar o valor, principalmente com relação aos banheiros e a visita guiada. Antes de iniciar a trilha, ainda na Administração, seria interessante se o visitante pudesse assistir a uma pequena palestra sobre a região com informações sobre a fauna, a flora, as cachoeiras, os atrativos da região - como as trilhas alternativas, trilha 4x4, hospedagem, templo, iglus, curiosidades e outras informações. 
Do lado de fora da Administração tem um mapa da região com indicação dos atrativos, que só percebi no final do passeio. Quando visito um local gosto muito de saber os detalhes, interesse que aumentou depois de criar o blog.

Depois do café, pegamos novamente o carro e fomos até o outro estacionamento que fica no início da trilha das cachoeiras. Não marquei esta distância mas chutaria uns 5 km.


 
Inicio da estrada da administração para o estacionamento das cachoeiras
 
Estacionamento das cachoeiras
 
Início da trilha

Os guias ficam na primeira cachoeira, a poucos metros do estacionamento. Para a trilha é conveniente levar água e protetor solar, boné, tênis confortável, além, é claro, da máquina fotográfica. 

Como disse antes, a primeira cachoeira chama-se Mumunhas (confirmei com o guia). No mapa da Administração não consta o nome. 







A trilha não é muito cansativa, no entanto, não a aconselho a alguém que tenha qualquer limitação física ou que esteja "totalmente" fora de forma. Nem deve ser feita por crianças pequenas (abaixo de 6 anos). Na ida é descida e na volta, subida. Em um dos pontos, atravessa-se um córrego passando por uma pinguela (um tronco, onde poderia ter um corrimão para maior segurança) e em outro trecho, atravessa-se o córrego pisando em algumas pedras que, mesmo secas, são escorregadias - minha sugestão é entrar na água e não ir se equilibrando nas pedras. 











Ao longo da trilha fomos apreciando a bonita vista e as pequenas cachoeiras.















Paramos na última cachoeira da trilha guiada, Cachoeira Rainha, onde tem um poço maior e um menor que possibilita uma bela vista. Nesta cachoeira nos deparamos com uma aranha bem grande, que pelo visto é muito comum na região, pois em frente ao refeitório tem uma teia feita de cordas como se fosse um símbolo.


 
Cachoeira Rainha
 
Cachoeira Rainha e poço
 
Poço maior da Cachoeira Rainha
 
Poço  menor da Cachoeira Rainha


 


Para continuar descendo a trilha é necessário fazer  rapel, informação passada pelo guia, mas não tivemos informações de quantas cachoeiras tem pela frente e a dificuldade da trilha e, nem mesmo, se é autorizado continuar.

Depois de tomar sol e nadar, voltamos pelo mesmo trajeto e pegamos o carro. Fomos em direção ao Templo que fica próximo (uma bifurcação à direita na estrada que liga o estacionamento da cachoeira ao refeitório - talvez uns 2 km). De lá tem-se uma bela vista da região. Gostaria de ter tido informações sobre este templo, mas como disse, faltam informações sobre o local, inclusive no site do Paraíso na Terra.


 
Vista da estrada voltando das cahoeiras
 
Foto em frente ao templo

Foto em frente ao templo

 
Foto com zoom - vista dos apartamentos
 
Interior do templo


Vista do templo


Acho que devido ao preço, o local não é tão cheio, o que achei ótimo - nós fomos em um sábado (feriado da Semana Santa).

Próximo ao refeitório tem um redário para quem quiser descansar um pouco. Tem também alguns iglus, que estão abandonados, acredito que tenham sido utilizados como hospedagem. Achamos interessante o eco produzido dentro deles.











O Paraíso na Terra oferece também hospedagem (consulte o site, fica um pouco distante do refeitório, mas demos uma passadinha de carro para conhecer. O local é bem cuidado. Conversamos com alguns hóspedes e eles informaram que é simples, porém, agradável.









Um dos guias nos informou que tinha uma cachoeira distante uns 15 minutos de carro, somente 4x4, nos interessamos em ir depois do almoço, mas o guia desapareceu.

Minha conclusão: vale muito a pena conhecer apesar de caro (principalmente quando você está em família - poderiam oferecer um preço diferenciado para família). Foi um dia muito agradável. Com pequenas melhorias (mais profissionalismo) o local poderia ficar sensacional, pois o principal, que é a natureza, o Paraíso na Terra já tem, e é belíssima.

Sempre que faço meus posts costumo dar uma passada no site do Tripadvisor para verificar o que estão dizendo sobre o local que vou escrever. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário