menu

AVEIRO - Fevereiro de 2020

Depois de termos conhecido Braga, que fizemos de base para conhecer Guimarães, Viana do Castelo e Barcelos, partimos no dia 7 de fevereiro de 2020 para Aveiro, distante 140 km de Braga.

Mais um trecho de estrada excelente. Passamos ao lado de Porto e continuamos no sentido sul. Chegamos em Aveiro um pouco depois do meio-dia. Deixamos nossas malas no Hotel das Salinas e fomos fazer o primeiro reconhecimento da cidade e procurar um restaurante para almoçar.


Hotel das Salinas
ideia era conhecer o máximo de coisas possível em um curto período e dormir apenas uma noite em Aveiro.


Canal visto do Hotel das Salinas
Apenas a alguns passos do hotel está o canal de onde saem os passeios de barco. É um programa obrigatório mesmo que não seja fantástico e nem barato (custa 12 euros por pessoa), mas faz parte. O passeio é guiado e rápido, mas dá para se ter uma idéia do desenho da cidade e de como ela é servida pelo canal. Há vários barcos saindo a todo momento, o preço é igual. Pode-se pagar um pouquinho mais e fazer também o passeio de Tuc Tuc.































Depois do passeio fomos almoçar. Nesta região de onde os barcos saem tem muitas opções de restaurante. Nós fomos a pé próximo ao Mercado do Peixe, no restaurante Porta 36. Pedimos o menu do dia que tinha um preço bom. O serviço e a comida foram bons e o local é agradável. 


Mercado do Peixe

Igreja de Nossa Senhora da Apresentação: localizada no Largo da Apresentação, apenas a 200 metros do restaurante em que almoçamos.

Foi construída no século XVII e sofreu grandes transformações no século seguinte. Em sua fachada tem dois painéis de azulejos de 1935, um com a Sagrada Família e o outro de São João, baseado na obra de Murillo. No adro tem uma escultura do Arcebispo de Aveiro D. João Evangelista de Lima Vidal. No interior, o altar-mor e os altares laterais são em talha dourada.


Igreja de Nossa Senhora da Apresentação


Igreja de Nossa Senhora da Apresentação


Igreja de Nossa Senhora da Apresentação

Capela de São Gonçalinho: 200 metros à esquerda da Igreja de Nossa Senhora da Apresentação está a Capela de São Gonçalinho. Construída entre 1712 e 1714 com uma planta sextavada. São Gonçalinho é também conhecido como São Gonçalo de Amarante. Estava fechada.


Capela de São Gonçalinho
Nosso próximo destino, mais uma Praça da República e uma Igreja da Misericórdia - toda cidade de Portugal tem uma praça e uma igreja com estes nomes. 

No caminho passamos por locais que mereceram uma foto: a Praça General Humberto Delgado, sobre o canal, como se fosse uma ponte. Tem 4 estátuas em bronze, duas de cada lado: a Salineira e o Marnoto de um lado, e o Fogueteiro e a Parceira do Ramo do outro; além de uma rotunda ou balão ao centro. Da ponte ainda avistamos o Obelisco da Liberdade, o Hotel Aveiro Palace, o canal e as embarcações. 


Obelisco da Liberdade à esquerda e Aveiro Palace


Vista do canal de Aveiro sob a Ponte da Praça

 
Estátua a Salineira
 
Estátua o Marnoto

Quase chegando na Praça da República passamos na porta de duas das confeitarias mais tradicionais de Aveiro, que fazem os típicos ovos molesMaria da Apresentação da Cruz e Peixinho. A cidade tem até esculturas em alusão à iguaria. Nós não experimentamos o doce.


Pastelaria Maria da Apresentação da Cruz e Pastelaria Peixinho
Praça da República: toda calçada em pedras portuguesas. Aqui estão alguns dos edifícios mais importantes da cidade, como o Paços do Concelho, atual Câmara Municipal - construída quando Aveiro foi elevada a cidade em 1759, ficando pronto em 1797. Também estão nesta Praça o Teatro Aveirense, o Agrupamento de Escolas de Aveiro e a Igreja da Misericórdia. Quase no centro da Praça está a estátua de José Estevão Coelho de Magalhães, jornalista e político de prestígio, nascido em Aveiro.


Estátua de  José  Estevão  Coelho de Magalhães


Câmara Municipal


Teatro Aveirense


Agrupamento de Escolas de Aveiro

Igreja da Misericórdia: construída no século XVII. A sua fachada e o interior são repletos de azulejos azuis e branco. No retábulo tem quatro pinturas dedicadas à Nossa Senhora da Misericórdia.


Igreja da Misericórdia







Seguimos por mais 400 metros até a região da Sé e do Museu de Aveiro.

Sé Catedral de Aveiro: teve sua origem na antiga igreja do Convento de São Domingos, fundado em 1473. Sofreu várias renovações nos séculos XVI, XVII e XVIII. Em 1938 tornou-se Catedral. 


Sé Catedral de Aveiro
Na primeira capela, do lado direito, tem um cruzeiro de São Domingos e, no adro, uma réplica. O cruzeiro foi retirado do exterior em 1978, a fim de ser preservado.

No interior, além da capela-mor, tem outras quatro capelas:  a de Nossa Senhora da Misericórdia, a de Santa Joana, a do Coração de Jesus e a de Nossa Senhora do Rosário.



Tem um grande órgão moderno de origem húngara com 1895 tubos. Não achei que o órgão tenha combinado com a igreja.



Museu de Aveiro - Museu de Santa Joana: localizado praticamente em frente à Sé. O museu é muito interessante. É possível comprar um combo de ingressos que dão direito a visitar este museu e outros dois ao lado do canal. Não abre às segundas-feiras.


Museu de Aveiro
O Museu está  instalado desde 1911 no Antigo Convento de Jesus da Ordem Dominicana Feminina, onde a Princesa Joana de Portugal, filha de Afonso V, viveu. Ela foi beatificada em 1693 tornando-se a padroeira da cidade.


Estátua da Princesa Santa Joana - em frente ao museu
Alguns destaques do Museu:

  • Igreja de Jesus: do século XV, porém, seu aspecto atual é do século XVIII, quando foi restaurada. Os três altares laterais são da Princesa Santa Joana, \Nossa Senhora do Rosário e São Domingos;


Igreja de Jesus - claustro ao fundo

Igreja de Jesus
  • Coro Alto, onde está o "Fácis Christi", Cristo crucificado em uma icônica escultura em que o rosto apresenta de um lado estar sorridente e do outro triste;


Coro alto - Facis Christi
  • retrato e túmulo da Princesa Santa Joana;


Santa Joana

Túmulo da Princesa Santa Joana
  • valioso patrimônio do século XV ao XX com ênfase no período barroco;




  • claustro do século XV/XVI. Através dele tem-se acesso às salas do capítulo, ao refeitório, ao lavabo, ao coro baixo e às capelas consagradas. No centro, um chafariz rodeado de bancos com um obelisco que representa Deus, a esfera Cristo e as quatro bicas os 4 Evangelistas que espalham a palavra de Deus.


Claustro
Refeitório

Ao lado do Museu tem um jardim com o nome de Santa Joana.

Jardim Santa Joana

Seguimos um pouco mais a frente até a Praça do Marquês de Pompal, onde estão prédios interessantes, alguns deles de serviços público, como o Comando Distrital de Aveiro (Segurança Pública) e o Tribunal Judicial. Encontra-se aqui também a Igreja das Carmelitas do Convento de São João Evangelista e a Casa de Santa Zita.


Casa de Santa Zita


Ministério Público


Segurança Pública

Mosteiro de São João Evangelista - Igreja das Carmelitas
Outro destaque desta Praça é o "Zodíaco na Calçada à Portuguesa". É um trabalho do artista Antônio Quadros com os 12 símbolos do zodíaco desenhados com pedras portuguesas sem que houvesse um molde para sua construção. 

Se quiser descansar um pouco e fazer um lanche pode sentar-se na calçada da Pastelaria / Chocolateria Magestik, ao lado do busto de Gustavo Ferreira Pinto Basto, Presidente da Câmara Municipal de Aveiro. Nós não entramos - seguem comentários do Tripadvisor.


Café Magestic - Desenhos do Zodíaco na calçada
Já estava começando a escurecer e decidimos conhecer o Shopping Forum Aveiro, localizado em frente ao canal, próximo da Praça General Humberto Delgado, e aproveitar para fazer um lanche. É um local agradável com uma arquitetura diferente e com vista da cidade, o que dá bonitas fotos.


Parque infantil na entrada do Shopping


Área em frente ao Shopping


Shopping à direita do Canal


Shopping Forum Aveiro


Vista da cobertura do Shopping


Jardim da cobertura do Shopping
Fizemos bastante coisa neste dia, hora de ir para o hotel. A programação do dia seguinte seria de meio período apenas. Visitar dois museus e as praias.

Dia 8 de fevereiro de 2020, continuação do nosso passeio em Aveiro. Os dois museus que fomos visitar ficam ao lado do canal - Museu da Cidade e Museu de Arte Nova. Os ingressos foram comprados no dia anterior junto com o do Museu da Princesa Joana (combo).

Museu de Arte Nova: o prédio do museu é no estilo Art Nouveau, bem bonito, mas o museu em si não desperta muito interesse, pois tem apenas um pequeno acervo da arte nova, sem ligação direta com a cidade, no entanto, acho importante prestigiar. Em quinze minutos é possível ver tudo. Pessoa interessadas no assunto certamente levarão mais tempo.









Museu da Cidade: também é um museu pequeno, mas achei mais interessante que o anterior. Ele destaca momentos, fatos e os protagonistas que ao longo do tempo têm construído a história de Aveiro. Também é possível ver tudo bem rápido.







Terminada a visita aos museus pegamos o carro, pela primeira vez em Aveiro, e seguimos para o litoral, distante apenas 10 km dali. Atravessamos a Ponte da Barra e seguimos para a Praia da Costa Nova. Uma bonita e extensa praia, que deu até vontade de fazer uma caminhada, mas estava ameaçando chuva e não tínhamos muito tempo mais.


Praia da Costa Nova
Pegamos o carro novamente e fomos em direção à Avenida José Estevão, voltada para a Ria de Aveiro, apenas 500 metros da Praia da Costa Nova. Estacionamos o carro e fomos caminhar pelo calçadão e fotografar os "palheiros" - casas listradas (próximo da Praia da Costa Nova também havia algumas casas listradas). As casas listradas (a maioria na vertical) eram armazéns dos pescadores de Ílhavo, que guardavam ali o material de pesca. Mais tarde, suas famílias se mudaram para a região e os depósitos foram transformados em casas. Dizem que foram inicialmente pintadas para que fossem distinguidas pelos pescadores ao chegarem à praia. Hoje a região é bastante turística, pode-se alugar casa para veraneio e há restaurantes na região.










Ponte da Barra vista do calçadão da Avenida José Estevão
Por fim, o Farol na Praia da Barra e a Capela de São João Batista, distantes apenas 4 km do calçadão da Avenida José Estevão. A passagem por lá foi muito rápida, pois estava começando a chover.

O Farol da Barra é do século XIX, com 62 metros de altura é o maior farol de Portugal. Às quartas-feiras é possível subir para apreciar a vista. 


Farol da Barra
A praia que termina no farol é a Praia da Barra, que por sua vez, é a continuação da Praia da Costa Nova, onde passamos antes.


Praia da Barra - ao lado do Farol
Capela de São João Batista está bem próxima do farol. É uma pequena capela privada, mas que estava aberta.


Capela de São João Batista
Depois de passarmos rapidamente pelo litoral de Aveiro voltamos ao hotel para pegar a bagagem, almoçar no Shopping e seguir para nosso próximo destino: Covilhã e a Serra da Estrela. Como sempre ficou a impressão de que precisávamos de mais tempo, como não havia sol, ficamos satisfeitos. 

As fotos abaixo foram da nossa despedida de Aveiro.







Nenhum comentário:

Postar um comentário